Chácara em Pirenópolis é destaque na Revista Globo Rural

By 30 de abril de 2014 maio 1st, 2014 Notícias

Chácara em Pirenópolis estampa neste mês de julho a primeira reportagem do tópico, Vida na Fazenda, da Revista Globo Rural.

A reportagem tem como título, Jardim dos Sentidos, e fala sobre a vida de seu Zé, como é conhecido José Carlos Ruiz pelas redondezas de Pirenópolis, Goiás.

José Carlos Ruiz saiu de São Paulo em 1979, onde era taxista, com a ideia de se dedicar á pecuária em Goiânia, e a acabou montando uma indústria de moveis na capital. Chegou á cidade de Pirenópolis há 11 anos.

No sítio intitulado Refúgio Avalon, seu Zé e a esposa, Dione Simoneli Ruiz, passaram a apreciar a vida e cuidar do espaço, mas, como o casal nunca gostou muito de ficar parado, montou uma pousada na cidade, há 3 quilômetros do refúgio. Um dia antes de se instalar na Mandala, seu Zé perdeu a esposa, mas manteve a coragem e os 43 anos de casamento na memoria. O hotel ganhou fama ente pirenopolinos e turistas e esta entre os melhores da região.

No começo deste ano, seu Zé sentiu vontade de retomar uma ideia antiga: dar vida o espaço do sítio e motivar a preservação do meio ambiente aliada ao aprendizado de adultos e crianças. Assim, começou a pesquisar plantas que estavam esquecidas e o saber popular, que sempre curou os males com propriedades medicinais disponíveis na natureza.

Nasceu o jardim Sensorial, um labirinto arquitetado no centro da propriedade que reúne riqueza da flora e mexe com os sentidos dos visitantes. Além disso, por toda a área do sítio, nas arvores que já estava no local, ele colocou placas com o nome comum e científico, assim são facilmente reconhecidas.

Guaco, cânfora, babosa, poejo, mangarito, boldo, carqueja e capuchinha são apenas algumas das mais de 70 plantas que seu Zé cultiva na propriedade.

As trilhas contem 485 metros de percurso relativamente fácil. Cercado pelo Rio das Almas, orientado por guias, que esclarecem duvidadas e curiosidades sobre a fauna e a flora nativas.

Além de resgate de plantas medicinais, ele acredita que todo esse entorno também é valioso para “curar” as doenças do corpo e da alma. Para ele o jardim sensorial significa recuperar as sensações que ficam esquecidas na correria do dia a dia, mas que são de extrema importância para levar uma vida prazerosa.